Corpo e Mente

Estresse: trilhando entre o físico, o emocional e o tratamento

3/3/2023
Estresse: trilhando entre o físico, o emocional e o tratamento

O estresse é uma resposta adaptativa do organismo que ocorre quando percebemos uma situação de perigo ou ameaça, real ou imaginária. Essa resposta é caracterizada por uma descarga de adrenalina, aumento do ritmo cardíaco, sudorese, tensão muscular, pupila dilatada, entre outros sintomas físicos.Nas situações em que as pessoas realmente necessitam de enfrentamento, chamamos uma reação positiva. Por exemplo: vou atravessar a rua e vem um carro em alta velocidade e eu corro para fugir; neste momento o individuo está sendo impulsionado pelo estresse positivo. Agora, quando interpreto que vou enfrentar um “leão” e no momento é uma “formiga”, a pessoa acomete o organismo de uma sobrecarga de energia desnecessária, ou seja, um estresse negativo.

Trilhando entre o físico e o tratamento

Embora o estresse possa ser benéfico em situações de enfrentamento real, ele pode se tornar prejudicial quando há repetição crônica de percepções inadequadas, resultando em malefícios físicos e psicológicos. Algunssintomas característicos do estresse crônico incluem ansiedade, insônia, tristeza, cansaço, taquicardia, hipertensão, problemas gastrointestinais, depressão, dor nas costas e cefaleia.É fundamental descartar possibilidades clínicas para estabelecer um tratamento psicológico adequado. Muitas vezes, os sintomas somáticos do estresse são resultado da interpretação equivocada de traumas passados que ativam um estado de alerta e perigo no organismo.

O tratamento para deve ser feito por uma equipe multidisciplinar, incluindo médicos psiquiatras e psicoterapeutas. A farmacologia pode ser necessária em alguns casos, mas é importante analisar as disfunções cognitivas e elaborar traumas passados através da psicoterapia. Contudo, as técnicas de relaxamento e exercícios físicos complementares, como massagem, respiração diafragmática, yoga e meditação, podem ser úteis para diminuir os sintomas do estresse.Por isso, avaliação clínica do médico é essencial para descartar riscos clínicos e permitir que o tratamento se concentre no componente emocional do estresse. Assim, é possível estabelecer um novo padrão de ideias e pensamentos, elaborar conflitos emocionais e reduzir os sintomas do estresse.Michael ZanchetPsicólogo do KurotelCRP: 07/13384

Leia também