Emoções são combustível para a vida, elas nos motivam a fazer atividades e tomar decisões assertivas. No entanto, um grande problema contemporâneo é a dificuldade que as pessoas têm de tolerar as frustrações e emoções negativas. Afinal, mesmo sendo negativas, elas são feitas para serem reconhecidas e vivenciadas. E neste sentido, a arte e bem-estar podem atuar em sintonia, como aliadas.

Contudo, muitas pessoas têm dificuldades de lidar com a suas emoções, principalmente as negativas. Elas acabam criando subterfúgios que geram malefícios ao físico e ao emocional, como: beber, fumar e comer as emoções.

Precisamos lembrar que existem diversas maneiras positivas de lidarmos e vivenciarmos as emoções. Dessa forma, é preciso fazer comportamentos favoráveis ao corpo, auxiliando na elaboração das mesmas e fazendo o bem para a autoestima.

Como utilizar a arte em prol do bem-estar

Podemos citar como exemplo dessas maneiras de auxilio, a manifestação artística, ou seja, como a arte e bem-estar juntas como aliadas. Todas as formas de arte são maneiras de expressar “como estou me sentindo”.

Quando escrevo uma poesia, uma crônica, manifesto desejos, emoções, opiniões. Isto também serve como uma maneira de me escutar. Na pintura de um quadro, expresso na forma, nas cores, meus sentimentos. Quando faço uma escultura, tem o toque fino na argila, tem a agressividade em esculpir uma madeira e, assim, transformar numa arte ou num objeto. Assim, é possível trabalhar motricidade fina e grossa.

Quando aprecio uma exposição, transfiro a minha percepção e busco imaginar o que o artista está expressando e querendo passar como mensagem. Assim, foco minha atenção na objetividade e na subjetividade daquela obra.

Todas essas percepções, sensações e produções auxiliam no nosso bem estar, uma vez que ajuda a elaborar as emoções, aumenta a autoestima, uma vez que me sinto produtivo e passa a segurança, de que sou capaz.

Claro que, para isso, é preciso que estar aberto e disposto a permitir que as manifestações artísticas aconteçam, sejam praticadas e dessa forma extrair os benefícios dela. E não necessariamente ser um artista, mas estar disposto a aprender uma técnica, que não tenha ligação com as minhas matrizes de aprendizagem. Pois além do emocional, auxilia em novas conexões neurológicas, sendo benefício para a memória, desenvolvimento atencional e criatividade.

 

Michael Zanchet, Psicólogo do Kurotel – CRP: 07/13384