O sistema imunológico desempenha um importante papel de defesa natural do nosso organismo, protegendo das agressões impostas por diferentes agentes. O corpo reage diariamente aos ataques de bactérias, vírus e outros micróbios. Por isso é de extrema relevância manter a imunidade alta, blindando o sistema imunológico, contra enfermidades diversas.

Como forma de disseminar essa missão, a diretora clínica do Kur, a médica nutróloga Mariela Silveira, e o psicólogo Michael Zanchet, trazem sete importantes informações de como aumentar e fortalecer o sistema imunológico:

  1. Aliviando o estresse

Sintomas como ansiedade, insônia, tristeza, cansaço, taquicardia, hipertensão, problemas gastrointestinais, depressão, dor nas costas, cefaleia podem ser característicos do estresse crônico. Conforme o psicólogo do Kurotel, Michael Zanchet, o estresse muitas vezes traz essas e outras manifestações como sensação de desmaio, que podem ser consequência da somatização de questões emocionais. “É importante manter o equilíbrio emocional, e, para isso, é fundamental uma alimentação saudável e a prática de exercícios físicos e de relaxamento”, diz o psicólogo.

O método Kur de controle do estresse é único. Com um Centro de Controle do Estresse, equipado com aparelhos americanos de última geração, o centro de saúde e bem-estar possibilita diferentes terapias, eficazes na melhora do estado físico e mental.

Entre os tratamentos estão a utilização da Cadeira de Harmonização, que auxilia a remover a bioquímica do estresse (como cortisol e adrenalina), levando a um estado de relaxamento e alcançando um retorno à tranquilidade e serenidade. É como voltar a ser criança, embalada no colo da mãe; e o Navegador, que permite que o corpo e a mente entrem em um estado de relaxamento, pelo qual a sensação é de que se estar flutuando. Neste tratamento, o cérebro recebe uma mensagem agradável e é possível chegar a frequência alfa onde o cliente tem uma sensação de calma e bem-estar.

Relatos médicos indicam que após este tratamento é possível:

  • Resistir ao estresse de uma forma mais eficiente;
  • Combater o cansaço físico;
  • Executar tarefas com dinamismo, competência e motivação;
  •  Aumentar o sistema imunológico, aumentando na resistência às doenças.
  1. Transformando o medo em atitudes preventivas e positivas

Quando sentimos medo exacerbado deprimimos o nosso sistema imunológico por razões neuroendócrinas, fazendo com que coloquemos mais adrenalina e cortisol em nossa corrente circulatória e isso, por sua vez, baixa as resistências.

Entretanto, o medo pode ser benéfico quando bem controlado e utilizado. É uma oportunidade, de fato, para que as pessoas possam colocar atitudes preventivas e positivas na sua vida, cuidando-se para não se expor a perigos.

O medo de se adquirir uma enfermidade, por exemplo, pode ser transformado em condutas e ações que beneficiarão a saúde como um todo.

  1. Ingerindo alimentação rica em nutrientes

Uma alimentação equilibrada e saudável melhora as atividades orgânicas, favorecendo um bom funcionamento de todo o corpo e mente. Somos o reflexo daquilo que comemos, pois cada célula é formada a partir dos nutrientes que fornecemos ao organismo por meio da alimentação. A falta ou quantidade insuficiente de um único nutriente já é capaz de gerar consequências negativas ao organismo. Os alimentos são como remédios naturais.

Uma boa alimentação deve ser rica em carboidratos complexos, fibras e “gorduras do bem”, como o ômega 3, e, naturalmente, restrita em sal, açúcar refinado e gorduras ruins, como as gorduras trans e saturadas.

Além disso, pratos com ingredientes essenciais como frutas e verduras variadas são fundamentais. O ideal é ingerir no mínimo sete porções de vegetais ao dia, entre frutas e verduras de cores diferentes, pois são ótimas fontes de vitaminas, minerais e fibras. Grãos, cereais e alimentos integrais e peixes também atuam diretamente no fortalecimento da boa saúde.

“As vitaminas e minerais, por exemplo, desempenham papeis importantes para a nossa saúde, já que atuam na formação dos ossos e dentes, mantém o equilíbrio de líquidos e substâncias, controlam os batimentos cardíacos e impulsos nervosos, promovem o funcionamento adequado de muitos sistemas do corpo além de produzirem enzimas para a realização de todos os processos metabólicos”, explica a médica nutróloga, Mariela Silveira, que é a diretora clínica do Kurotel.

No Kurotel, um dos mais cobiçados endereços para quem busca saúde, qualidade de vida, longevidade e bem-estar, a filosofia é de que a comida é um dos maiores prazeres da vida e um dos pilares essenciais para um estilo de vida saudável. Por isso, o local prioriza os alimentos orgânicos, cultivados em harmonia com a natureza, sem agrotóxicos ou aditivos, sem deixar de lado o sabor, atendendo a perfis distintos, como pessoas alérgicas, intolerantes, veganas e vegetarianas, com refeições de baixas calorias, pouco sal, sem açúcar e muito sabor.

  1. Dormindo um sono reparador

O sono é um processo fisiológico essencial para o equilíbrio do organismo e manutenção da vida, e por isso tem papel fundamental em nossa saúde. Passamos quase um terço de nossas vidas dormindo, e isto não é por acaso. É durante o sono que restauramos nossas células e recarregamos nossas “baterias”.

O sono restaurador deve ter ritmo adequado, ou seja, hora para dormir e acordar, quantidade suficiente de horas, em média sete horas (estudos científicos indicam que dormir menos de 5 horas e mais de 9 horas pode ser prejudicial à saúde e aumenta o risco de mortalidade) e boa qualidade, passando por todos os estágios do sono sem interrupções.

Dormir mal e menos de 7 horas por dia está associado a um aumento do risco de desenvolver doenças crônicas, como obesidade, diabetes, pressão arterial elevada, doenças cardíacas, acidente vascular cerebral e estresse.

Uma boa noite de sono está diretamente relacionada com bons hábitos. Uma vida com equilíbrio e sem excessos baseada em alimentação saudável, prática regular de exercícios físicos e controle do estresse e ansiedade levam ao sono restaurador que é fundamental para manter este equilíbrio resultando em melhora da qualidade de vida com mais saúde.

  1. Fazendo exercícios

Muito mais do que ajudar a manter o peso, o exercício físico regular melhora a saúde vascular, fortalece os ossos e aumenta a endorfina nos hormônios do corpo, assistindo na proteção contra o estresse e inúmeras doenças.

A atividade física auxilia no controle da hipertensão arterial, mantém frequência cardíaca mais baixa, reduz arritmias e o risco de aterosclerose, pela diminuição do LDL e aumento do HDL, além de melhorar consideravelmente a qualidade do sono.

Isso porque as pessoas ativas têm maior liberação de serotonina, dopamina e endorfina, o que proporciona uma sensação de bem-estar, contribuindo para a redução do estresse e promovendo melhor qualidade de vida.

  1. Conferindo marcadores de saúde e imunidade

Fazer check-ups periódicos de saúde é primordial. Um dos exames mais requeridos nas consultas médicas é o hemograma. Por este exame de sangue é possível  verificar como está a imunidade, ao avaliar os elementos celulares do sangue – células vermelhas, as brancas e as plaquetas – quantitativamente e qualitativamente. Tal verificação auxilia no diagnóstico de diferentes patologias.

Os leucócitos, também conhecidos por glóbulos brancos, são responsáveis por defender o corpo de microrganismos invasores como bactérias, fungos e vírus e dentro desse grupo existem outros tipos de células com funções diferentes, por isso as causas de alterações na série branca são muito variadas. O valor normal dos leucócitos varia entre 4000 e 11000 células por ml.

  1. Se for o caso, suplementando nutrientes com profissionais de saúde capacitados

A única maneira que a natureza encontrou para construir seres humanos é através de nutrientes. Fornecendo nutrientes e suplementação necessária para nosso organismo poderemos ter ossos mais resistentes, músculos mais fortes e cartilagens mais sadias. Por isso é recomendada uma alimentação variada rica em antioxidantes como, por exemplo, vitaminas do complexo B; C e E assim como minerais.

Além disso, atualmente, novos conhecimentos da Medicina e da Bioquímica permitem tratar e prevenir problemas de doenças com suplementação, mas é importante ser indicado e acompanhado por profissionais médicos.