NEWS KUR – Alimentação preventiva e receita saborosa

No dia 16 de outubro é comemorado o Dia Mundial da Alimentação, e neste ano a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, aborda o tema “Mude o futuro da migração. Investir na segurança alimentar e no desenvolvimento rural”. O tema proposto traz consigo o conceito de sustentabilidade, que diz respeito à utilização dos recursos naturais respeitando os aspectos econômicos, sociais, ambientais e culturais, garantindo o bem-estar dos cidadãos e a preservação do ecossistema.

Cada vez mais percebemos a importância da sustentabilidade, através de um despertar no interesse das pessoas em ter a sua própria horta em casa, ou na compra de hortaliças, verduras, frutas, ovos, em feiras orgânicas de produtores locais, sendo estas alternativas fáceis e simples para ter uma alimentação saudável e uma maior proximidade com a natureza. Se nos nutrirmos com alimentos mais saudáveis, cultivados de acordo com a natureza, ou seja, respeitando o solo em que este alimento é plantado, sem a utilização de defensores químicos, estaremos melhorando a nossa própria qualidade de vida.

Ao valorizarmos o consumo de alimentos mais naturais (in natura) e reduzirmos ao mínimo a ingestão dos alimentos processados, garantimos mais saúde e nutrição ao nosso organismo, e um futuro mais sustentável para a humanidade e o planeta.

Você sabia que a alimentação pode ajudar na prevenção do Câncer? A berinjela, por exemplo, é fonte nutricional de fibras, das vitaminas A, B1, B2, B5 e C, dos minerais cálcio, fósforo, ferro, potássio, e de alcaloides que atuam diminuindo a pressão sanguínea e prevenindo a arterosclerose. A pele da berinjela é rica em substâncias fitoquímicas e glicosídeos solasodina, que ajudam na inibição do crescimento das células cancerosas e combate os radicais livres, prevenindo o envelhecimento celular.

Por isso, separamos uma lasanha de berinjela com soja para você preparar com a sua família

LASANHA DE BERINJELA COM SOJA

Ingredientes:

2 xícaras de proteína de soja texturizada
1 colher (sopa) de vinagre de maçã (ou suco de 1 limão)
500ml de água
1 cebola média picada
1 colher (sopa) de óleo vegetal
1 colher (chá) de sal
2 berinjelas
200g de queijo-de-minas ou tofu
200g de tomate picado
1 ml de tempero verde
Orégano a gosto

Modo de preparo: Coloque a soja de molho em água por 20-30 minutos, junto com 1 colher (sopa) de vinagre. Após, escorra e esprema bem a soja, para que saia toda a água. Refogue a cebola com pouco óleo, acrescente os temperos e o tomate. Acrescente a soja para cozinhar por 15 minutos. Corte a berinjela em finas fatias e coloque em uma panela com água quente por 10 minutos para cozinhar levemente. Caso utilize a abobrinha, o procedimento é o mesmo. Para montar a lasanha, coloque 1 camada de berinjela, 1 camada de soja e coloque o queijo por cima. Salpique orégano.

Leve ao forno para gratinar.

Rendimento: 5 porções

 

ORIENTAÇÕES PRÁTICAS PARA UMA VIDA LONGEVA

Por Kátia Stringueto da Revista Bons Fluidos e Luís Carlos Silveira fundador do Kurotel

  1. Mantenha seu check-up em dia. A detecção precoce de doenças ou mesmo de disfunções é de fundamental importância para evitar problemas e interferir de maneira signi­ficativa na expectativa de vida.

 

  1. Coma na medida certa: a restrição calórica é uma das mais bem documentadas atitudes que podem ser úteis para viver mais. Assim, não passe fome, mas termine a refeição quando estiver satisfeito, nunca sentindo que comeu em demasia. Uma alternativa prática pode ser reservar 20% do espaço do prato para não ser preenchido. (“Um quarto do que você come mantém você vivo. Os outros três quartos mantêm o seu médico vivo” – leu-se num hieróglifo encontrado em uma tumba egípcia.)

  1. Atenção aos nutrientes: à medida que o indivíduo atinge a quinta década de vida, a absorção dos nutrientes que ocorre no trato gastrointestinal, especialmente na mucosa do estômago e do duodeno cai signi­ficativamente. Assim, solicite ao seu médico que con­fira os níveis de ácido fólico, vitamina B12 e vitamina D, entre outras. Se estiverem baixos, a suplementação será bem recomendada. Esses são especialmente importantes para a manutenção da boa cognição ao longo do processo de envelhecimento. Ou seja, são bené­ficos para o humor, a memória e a atenção.

 

  1. Cérebro ativo, sempre: o Alzheimer tem maior incidência em pessoas com baixo nível de instrução. Trabalho publicado no ­New England Journal of Medicine mostrou que jogos de cartas, jogos de tabuleiro, palavras cruzadas e leitura podem reduzir o risco de demência em pessoas com mais de 75 anos. Contudo, lembre-se: quanto mais cedo mantiver o cérebro ativo (em equilíbrio), melhor.

  1. Álcool, se ingerido com moderação, tudo bem. Não fume e não use drogas. Não fumantes vivem, em média, dez anos mais que fumantes.

 

  1. Não deixe de tomar seu café da manhã: pesquisa do Instituto de Gerontologia da Universidade da Geórgia revelou que os centenários, diferentemente de quem não atingiu os 100 anos, nunca dispensam essa refeição.

  1. Dentes muito limpos: pesquisadores da Universidade Harvard identi­ficaram que a inflamação bacteriana da gengiva, causada pelo acúmulo de resíduos alimentares entre os dentes, aumenta em 72% o risco de doença cardiovascular. Pessoas com pior saúde bucal (medida pelo número de dentes presentes na boca) morrem mais cedo de doenças cardiovasculares em todas as faixas etárias.

 

  1. Seja ativo: a Associação Americana do Coração evidenciou que exercícios diários moderados ajudam a aumentar o tempo de vida em até seis anos. E, se for possível, mantenha a prática do exercício físico junto ao contato com a natureza. Pesquisadores japoneses concluíram que a expectativa de vida de idosos que moram perto de áreas verdes é maior que a daqueles que vivem cercados de arranha-céus.

  1. Parceria: segundo o Journal of Health Psychology, pessoas que mantêm longas e bem-sucedidas uniões afetivas têm maior expectativa de vida, quando comparadas com pessoas que se casam novamente ou terminam a vida divorciadas. Isso é válido desde que o casal esteja unido por amor, e não por conveniência.

 

  1. Seja legal consigo mesmo – e com os outros: depois de dez anos estudando como a personalidade influi no aumento ou na diminuição da expectativa de vida, pesquisadores holandeses concluíram que ter uma atitude positiva pode diminuir em até 55% o risco de morte prematura. Além disso, novos trabalhos têm indicado que, quanto mais altruísta o indivíduo for, maior o benefício em termos de aumento de córtex cerebral. Segundo um estudo publicado na revista Psychological Science, dar apoio físico ou emocional a outras pessoas reduz em até 60% o risco de morte prematura no idoso.

 

A árvore da longevidade

Por Kátia Stringueto da Revista Bons Fluidos e Luís Carlos Silveira fundador do Kurotel

 

A vida pode ser comparada a uma árvore: existe a genética, que está no centro de tudo, como em uma semente, a qual de­finirá as características da espécie e as combinações que farão com que aquele ser seja único. Bons hábitos, como a adoção de uma alimentação equilibrada, são os galhos, as folhas verdes, as flores e os frutos. Os maus hábitos, como estresse fora de controle, tabagismo, alcoolismo, alimentação rica em gorduras de má qualidade e açúcares são ventos excessivos, tempestades e geada, que gerarão os galhos quebradiços e as folhas secas. É preciso, portanto, regar a árvore sempre com bons nutrientes, para acumular cada vez mais folhas, flores e frutos de maior qualidade e quantidade, e colhê-los ao longo da vida.

O que determina a qualidade do envelhecimento como um todo é o balanço de todos os hábitos, desde a infância. Contudo, sempre é tempo para começar. Apenas para ter uma ideia, prevê-se que a atividade física somada ao controle do estresse podem aumentar em cerca de 30 anos a expectativa de vida. Quando esses fatores são somados ao não uso ou ao não abuso do álcool, a vida pode ser prolongada em 40 anos.

 

Não basta viver mais, é preciso viver melhor

Por Kátia Stringueto da Revista Bons Fluidos e Luís Carlos Silveira fundador do Kurotel

 

Como já sabemos, estamos vivendo mais. Em 1982, a expectativa de vida do brasileiro era de 61,8 anos, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Hoje, falamos em 74,6 anos, segundo esse mesmo órgão. Por causa do aumento da expectativa de vida, o Brasil chegará a 2025 sendo o sexto país mais longevo do mundo, segundo o World Health Statistics, de Genebra. (…) Imagine usar a atual tecnologia e as próximas, que chegarão em breve, em prol da biologia que já nos permite viver mais tempo. Sabemos que existem áreas que prometem grande alento a diversas doenças, como as terapias de reparo ao DNA e ao RNA, a nanotecnologia, a modulação hormonal segura, a terapia com células-tronco, a reposição de nutrientes, a interface digital para cérebro e vísceras ou membros biônicos, entre tantas outras possibilidades. Não se discute, portanto, a capacidade da ciência nos manter vivos por um impressionante período de tempo no futuro. Contudo, ainda não é suficiente para que tenhamos uma vida com qualidade.

O que percebemos é que os aspectos que caracterizam uma pessoa longeva estão muito próximos da natureza, aqui entendida como o cultivo de hábitos alimentares saudáveis, atividades físicas, bom humor, capacidade de ser flexível e de se adaptar a novas situações etc. É claro que há indivíduos que manifestam esses traços com mais intensidade, mas é perfeitamente possível trabalhar e estimular essas características em todas as pessoas. O primeiro passo é que a própria pessoa acredite nela mesma, que ela se sinta capaz de mudar seus hábitos e abandonar os “pensamentos mágicos”, de que alguém, um médico, ou algum remédio será capaz de fazer isso por ela.

 

08 de março – Dia Mundial do Rim

A doença renal crônica chega a atingir 10% da população mundial. Até recentemente, pouco se comentava, por exemplo, da relação entre doença renal e obesidade.

Entretanto, a maioria desses casos é proveniente de desordens metabólicas que, muitas vezes, poderiam ter sido evitadas com medidas saudáveis que incluem alimentação balanceada e a prática da atividade física.

A Sociedade Brasileira de Nefrologia está fazendo esforços para promover o ESTILO DE VIDA SAUDÁVEL PARA RINS SAUDÁVEIS, através de congressos científicos e campanhas comunitárias.

O Kurotel, que prescreve todas essas medidas há 35 anos, apoia e valoriza esta campanha, desejando contribuir com a disseminação de informação sobre saúde renal. Especialmente, a combinação desses fatores é não somente importante para se evitar doenças renais, mas especialmente para se manter adequada a função renal por mais tempo.

Dra. Mariela Silveira – Diretora Médica do Kurotel