Uma boa noite de sono é revigorante. Mais do que isso, a qualidade do sono é extremamente benéfica para a saúde, pois tem um impacto muito grande na imunidade, já que um sono reparador beneficia diretamente nosso organismo, que fica preparado para fazer a defesa de nosso corpo.

 “Todo o comportamento neuroquímico e neurológico tende a ser melhorado quando se tem um sono reparador, inclusive as globulinas, que têm ação direta e importante no processo de defesa do organismo, são fabricadas adequadamente quando se tem um sono reparador”, explica a médica nutróloga Mariela Silveira, diretora clínica do Kurotel.

A ciência demonstra que o sono tem um papel importante na saúde e que seus distúrbios podem estar relacionados com problemas cardiovasculares, assim como com aumento de peso. Sim, a privação de sono está relacionada com obesidade.

Mas será mesmo que todas as pessoas precisam dormir oito horas de sono para terem saúde? Ter uma boa noite de sono é muito mais do contar horas dormidas. Muito se ouviu que quanto mais se dormisse, melhor seria. Surpreendentemente, trabalhos recentes mostram que não. Primeiro que isto é variável de acordo com necessidades individuais, faixa etária, fases da vida, entre outros.  O mais importante é a qualidade, a reparação, se desperto e consigo desempenhar as minhas atividades de rotina sem problemas, isso é sinal de um sono reparador.

Normalmente só damos valor para a qualidade do sono quando temos insônia ou passamos o dia cansado para as nossas atividades. O fato é que nascemos com a capacidade de dormir, tanto é que o bebê se mantém mais dormindo do que acordado nos primeiros dias de vida.

Com o passar do tempo, muitas pessoas perdem essa capacidade de dormir, seja por causas clínicas, seja por causas comportamentais. “Observo, na experiência do consultório, queixas de insônia relacionadas ao comportamento. Podemos citar as seguintes situações, que trazem prejuízo ao sono: abuso de bebidas que contém cafeína, sedentarismo, abuso de bebida alcoólica ou uso regular, alimentação excessiva à noite e desorganizada ao longo do dia,  uso de computador no período noturno, nível de estresse elevado, dificuldades emocionais”, relata o psicólogo do Kurotel, Michael Zanchet.

Por isso, é importante manter a higiene do sono.

Como saber se tivemos um sono reparador?

– Você acorda com disposição? Se sim, ótimo. Caso contrário, há indícios de que seu sono não foi reparador.

– Você rouca à noite?  Muitas vezes o ronco vem junto com a apneia e isso pode ocasionar comprometimento de oxigenação central. Não há como ter uma boa noite de sono assim. Ideal é procurar um médico.

– Você tem sonolência durante o dia? Se sim, há um sinal de alerta. Caso contrário, você tem uma boa chance de estar conseguindo atingir um sono reparador.

Como dormir melhor?

O psicólogo Michael Zanchet dá algumas orientações de comportamentos para dormirmos melhor:

– Exercite-se preferencialmente pela manhã;

– Alimente-se de maneira fracionada e à noite faça uma refeição leve;

– Evite o uso de bebida alcoólica em excesso e com regularidade e também o tabagismo;

– Insira na sua rotina de vida atividades de relaxamento, preferencialmente final de tarde, como massagem, sauna, yoga, meditação, banheira de hidromassagem;

– Verifique sua agenda de compromissos para o próximo dia no final da tarde; se estiver preocupado, anote a sua preocupação no papel;

– Evite usar computador ou celular a noite;

– Evite assistir televisão no quarto;

– Tenha um ambiente adequado para o sono: bom colchão e travesseiro, iluminação suave, mas preferencialmente escuro, com climatização adequada;

– Tenha um ritual comportamental antes de ir para cama, por exemplo: tomar um banho, colocar o pijama ou a camisola, uma leitura descompromissada.


Analise seus comportamentos e busque adotar as orientações acima, a fim de melhorar o seu sono, caso persista sua dificuldade busque auxílio médico para avaliar seu sono clinicamente e o psicólogo para avaliar as emoções e o comportamento.

Tenha uma boa noite de sono!