Vitaminas e sais minerais x humor

Uma metanálise (trabalho que verifica o resultado de diversos estudos frente à uma hipótese) mostrou que pessoas que usam suplemento de vitaminas e minerais têm melhor humor do que aqueles que não utilizam. O resultado foi publicado no Psychosomatic Medicine: Journal of Biobehavioral Medicine. Os pesquisadores analisaram oito trabalhos duplo-cegos, em um total de 1.292 homens e mulheres saudáveis. Os suplementos continham variação nos níveis de vitaminas e minerais e foram administrados por pelo menos 28 dias. As pessoas que faziam suplementação revelaram 65% menos risco de se perceberem estressadas dos que aquelas que receberam placebo. A análise mostrou 70% menos risco para sintomas psiquiátricos moderados, 68% menos risco de ansiedade, 73% menos fadiga.

0911-BemEstar-696x312

Relação do sono com a dor

Todos sabem da importância de uma noite bem dormida. Agora, uma recente pesquisa realizada no Hospital Henry Ford, em Detroit, nos Estados Unidos, evidencia mais uma vantagem. Dormir 10 horas por noite pode combater dores, mais do que alguns analgésicos. O estudo observou o sono de 18 voluntários durante quatro noites e constatou que aqueles que dormiram por mais tempo tiveram maior resistência para dor em testagens provocativas do que os que dormiram menos. Verificou ainda que os maiores benefícios ocorrem em pessoas que dormem 10 horas ou mais. Estes resultados foram ainda superiores a trabalho anterior, que observava a reação analgésica de 60mg de codeína em indivíduos submetidos aos mesmos testes e análises. Dessa forma, o sono passa a ser cada vez mais uma prescrição médica quando houver queixas de dor crônica.  Além disso, as oito horas de sono por dia, tradicionalmente recomendadas, devem ser revistas para esse grupo de pacientes.

140609-kur-material-2014-1064

Ômega 3 contra o envelhecimento precoce

Uma das apostas para retardar o processo de envelhecimento é atuar nas substâncias que controlam o tempo de vida da célula, entre elas uma estrutura chamada telômero. Artigo recente da Brain, Behavior and Immunity revelou que a suplementação com ômega 3 reduz a degeneração prematura dos telômeros, mantendo a função celular por mais tempo.

omega3

Extrato de sementes de uvas tem efeito antitumoral

Um estudo in vitro recente, publicado na revista Cancer Letters, revelou que o extrato de sementes de uva teve um potente efeito contra células de câncer colo-retal, levando à morte de células cancerígenas, principalmente nos estágios mais avançados da doença, no qual a quimioterapia já não apresenta resultados tão significativos.

uva_mesa_tension

Mastigação relacionada com redução no risco de demência

Pessoas que têm dificuldade para mastigar alimentos duros, como uma maçã, apresentam um risco maior para desenvolver problemas cognitivos e demência. Uma razão para isso, dizem pesquisadores, poderia ser que poucos dentes ou nenhum tornam a mastigação mais difícil, o que leva a uma redução do fluxo sanguíneo para o cérebro.  Os dados foram publicados no site da NewsRx, uma das maiores fontes mundiais em saúde.

saude-maca-vida-sexual-mulheres-72646

Vitamina D e o baixo risco de câncer de próstata

A vitamina D é uma vitamina lipossolúvel, que pode ser formada na exposição ao sol ou na ingestão de alimentos como óleo de peixes, vegetais, sardinha, atum, salmão, leite e ovos. Estudos demonstram que a suplementação de vitamina D pode ser estratégia de intervenção eficaz no tratamento do câncer de próstata em homens com baixo risco da doença. As informações estão no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism.

140610-kur-material-2014-0420

O chá verde no controle da glicose

A epigalocatequina-3-galato (EGCG), um composto do chá verde, pode ajudar a controlar o aumento do açúcar no sangue, que ocorre após o consumo de alimentos ricos em amido, beneficiando as pessoas com risco de desenvolver diabetes. A informação está em publicação do Molecular Nutrition and Food Research.

Cha-Verde-650

Mais benefícios do brócolis

O sulforafano, composto encontrado nos vegetais crucíferos, como o brócolis, além de ter efeitos preventivos contra tumores e benefícios terapêuticos, também se mostra eficaz no tratamento da leucemia linfoblástica aguda.  A revelação veio de estudo publicado na revista científica on line PLoS One.

brocolis-cursos-cpt

Brócolis na proteção contra os males da poluição

Um artigo publicado na Cancer Prevention Research relata um efeito protetor para uma bebida feita a partir de brotos de brócolis contra o acúmulo de poluentes transportados pelo ar em homens e mulheres chineses. Brócolis são uma fonte abundante de glucorafanina, que gera um composto conhecido como o sulforafano que induz enzimas das células-protector, incluindo a glutationa S-transferases. O estudo incluiu 62 homens e 229 mulheres residentes em uma região fortemente industrializada da China. Os participantes up-to –date foram distribuídos aleatoriamente para receber uma bebida que continha brócolis liofilizada em pó ou uma bebida de controle durante 12 semanas. Amostras de urina foram analisadas periodicamente para níveis de benzeno cancerígeno e irritantes pulmonares e acroleína. Excreção benzeno aumentou 61% entre os que receberam brócolis em pó começando com o primeiro dia do estudo, e excreção acroleína aumentou 23% ao longo do julgamento. Os autores observam que a dosagem de glucoraphanin e sulforafano fornecido pela bebida foi maior do que comumente associado com os consumidores de brócolis e que estudos futuros devem avaliar a eficácia de doses mais baixas.

brocolis-cursos-cpt

Óleo de peixe e a saúde do cérebro

Estudo publicado na Alzheimer´s & Dementia, descreveu um efeito protetor com a suplementação de óleo de peixe (rico em Ômega 3) na manutenção do volume cerebral e na função cognitiva em homens e mulheres entre 55 e 90 anos. A análise incluiu 193 pacientes com doença de Alzheimer, 397 com comprometimento cognitivo leve (MCI) e 229 cognitivamente normais. Durante cinco anos, foram avaliadas as alterações na cognição e estrutura cerebral entre os participantes. Eles foram submetidos a testes neuropsicológicos e de ressonância magnética do cérebro no momento da inscrição e a seguir, em intervalos de seis a doze meses. A análise incluiu 117 pacientes que usaram regularmente suplementos de óleo de peixe no início do estudo, e entre eles, uma porcentagem significativa relatou o uso contínuo nos períodos subsequentes. Enquanto que o volume médio do hipocampo e da massa cinzenta do córtex cerebral diminuíram ao longo do tempo no grupo como um todo, a utilização de óleo de peixe foi associada com melhorias nestas áreas. Aqueles que usaram óleo de peixe apresentaram melhores níveis (scores) de função cognitiva ao longo do estudo. No entanto, o efeito ocorreu principalmente entre aqueles que não eram portadores do gene da apolipoproteína E4, que tem sido associada com a doença de Alzheimer.

oelo-de-peixe