Você já ouviu falar em Body Shaming?

Em tempos contemporâneos, disseminam expressões em inglês, as quais no senso comum, às vezes, são pouco compreendidas, um exemplo disso é Body Shaming, traduzindo: vergonha do nosso corpo.

Com advento da exposição física, de opiniões poéticas e de uma pseudo felicidade das redes sociais, que tem a sua contribuição positiva, quando bem usada, mas tem uma contribuição negativa quando mal utilizada.

Comentários maldosos sobre questões físicas que, em pessoas com uma autoestima frágil, podem contribuir para uma não aceitação do seu próprio corpo. Primeiro é importante ressaltar que tanto o elogio quanto a crítica, se não internalizada por aquela pessoa que recebe, perde o valor; por isso a importância de filtrar tanto o positivo quanto o negativo, tendo ciência qual o significado daquilo para a minha vida.

Corpo perfeito não existe, somente no photoshop, o foco deve ser um corpo saudável, equilíbrio e estética como consequência; o que pode ser buscado é a conjugação do verbo: aceitação. Vislumbrar o meu conteúdo emocional, intelectual e físico, ou seja, a busca constante do equilíbrio.

Se você tiver uma régua em mão, e que a mesma inicie a contagem no 8 e termine no 80, lembre-se que qualquer comportamento que tiver próximo do 80 ou do 8, não está legal; busque sempre estar entre 35 e 45, pois assim você vai dispender tempo e energia para as atividades vitais para a sua vida.

Essas podem ser divididas em: saúde (atividade física, alimentação, sono, relaxamento), pessoal (lazer) e profissional (trabalho, estudo, gerenciamento do seu patrimônio).

Autoestima não se sustenta pela opinião alheia, mas sim pela construção de laços fraternos de você consigo mesmo, acreditando nas suas potencialidades.

Psicólogo do Kurotel Michael Zanchet
CRP: 07/13384

Publicado por

kurotelb

Fundado em 1982 por Luís Carlos Silveira, e sua esposa, Neusa Silveira, o Kurotel - Centro Médico de Longevidade e Spa, está localizado em meio às belezas da Serra gaúcha, na cidade de Gramado. É reconhecido por promover e estimular as pessoas a se comprometerem com um estilo de vida mais saudável, motivando escolhas positivas. Valorizando a vida nos sentidos quantitativo (longevidade) e qualitativo (vitalidade e bem-estar).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *