Mindful eating para o verão

“Comer com atenção plena”, em tradução livre, pode ser uma excelente estratégia para reduzir peso

Termo utilizado para alimentar-se com foco no presente, Mindfull Eating, significa comer com atenção plena. Essa estratégia visa estimular os sentidos para perceber o que estamos comendo, extraindo o máximo de gosto e prazer na mastigação e na permanência do alimento na boca durante a refeição. Comer com atenção plena permite saciedade sem trazer prejuízo para o corpo, tornando assim a alimentação prazerosa e nutritiva.

Para incorporar essa estratégia na rotina, um fator importante é a organização da alimentação. Este passo é fundamental num processo de reeducação do estilo de vida: o que comer, em que horário comer e em que quantidade. Uma sugestão de um bom planejamento alimentar é a seguinte:
– inicie a alimentação por uma salada;
– não faça ingesta de líquido durante a refeição;
– priorize que a porção venha pronta e servida, sem utilizar a exposição de comida da mesa, para que assim não saia do planejamento.

Dessa forma, fica muito mais fácil praticar o Mindfull Eating no dia a dia, e assim, com hábitos mais saudáveis, controlar o peso para o verão é ainda mais simples.

Psicólogo do Kurotel Michael Zanchet CRP: 07/13384

Entenda: Ansiedade, estresse e Burnout

Estes fatores podem desencadear uma patologia conhecida como FOMO (Fear of missing out) – ou Medo de perder algo, em tradução livre.

A tecnologia permeia toda nossa vida atualmente. Desde o âmbito pessoal até o profissional e todas relações e atividades inerentes a eles. As pessoas já passam muitas horas dos seus dias conectados e com o receio de perder oportunidades, acabam deixando de estar conectados consigo e no investimento de relações com as pessoas. Isso tem gerado um aumento exponencial da ansiedade, do nível de estresse, e ocorrência de Burnout na sociedade atual.

A base da ansiedade é o medo de errar, insegurança: antecipo os fatos por não suportar a ideia de que possa errar. O primeiro fator quando estamos ansiosos, frisa o psicólogo do Kurotel, Michael Zanchet, é buscar equilibrar o organismo e as taxas de oxigênio (respiração) para então, poder refletir quais são os gatilhos que estão gerando a ansiedade. Lembre-se que nem tudo na vida tem que ser rápido, tem muitas situações que precisamos parar, pensar e somente depois agir. O acerto e o erro fazem parte da vida, permita-se aprender com a experiência.

O psicólogo também comenta que o estresse tem a ver com percepção, a maneira como se interpreta um fato real ou imaginário, e que pode gerar um estado de alerta no organismo, diminuindo a capacidade de reflexão e de ação. E que de maneira crônica, ocasiona um desgaste físico e emocional no organismo.

Já o Burnout é caracterizado por um intenso desgaste físico e mental em decorrência de excesso de trabalho. O desequilíbrio em qualquer situação na vida vai gerar prejuízos, por isso é necessário o desenvolvimento no âmbito físico, pessoal e profissional, pois uma área não supri a outra. Muitas vezes, as pessoas focam em demasia em uma única área, sendo uma fuga para suprir uma carência pessoal ou talvez afetiva, e acabam entrando num ciclo vicioso profissional, gerando a exaustão do corpo e da mente.

O ser humano necessita de relaxamento, atividade física, relacionamento interpessoal e afetivo, profissão, organização financeira e espiritualidade para viver de forma equilibrada e com maior bem-estar. Assim, é possível viver de forma mais plena e se gerencia melhor os fatores de risco para a saúde como a ansiedade, o estresse e o Burnout.

Psicólogo do Kurotel Michael Zanchet – CRP: 07/13384

Higiene do sono: dormir bem para viver melhor

O sono é vital para a vida. Ainda assim, há um aumentado relevante na incidência de queixas de insônia. O corpo humano é complexo e inteiramente conectado – seus sentimentos, ações, pensamentos, tudo. E quando transmitimos para o corpo que ele tem que estar armado, vigilante, afeta diretamente o desarmar, o relaxar e consequentemente o dormir.

Um comportamento que tem afetado a qualidade do sono de muitos, é o tempo de exposição à tela, o uso demasiado de recursos tecnológicos – principalmente no período noturno –, tem prejudicado a liberação de hormônios de relaxamento, fazendo com que desregule o relógio biológico do corpo. Por isso, procure evitar o uso de aparelhos eletrônicos 2h a 3h antes de deitar, tome um banho morno, se prepare gradativamente para desligar o corpo, busque o descompromisso, para que dessa forma você relaxe e tenha uma excelente noite de sono, melhorando sua saúde e seu desempenho durante o dia.

Uma noite mal dormida afeta a capacidade cognitiva no dia seguinte, pois a pessoa fica lenificada, afetando o foco atencional e a memória. A produção hormonal também fica prejudicada, por exemplo, a redução da produção de hormônios relacionados à saciedade, aumentado a propensão a compulsão alimentar e consequentemente gerando prejuízos para o peso corporal.

Psicólogo do Kurotel Michael Zanchet – CRP: 07/13384

Você sabia que nós não utilizamos cloro nas piscinas?

O tratamento da água das piscinas do Kurotel é feito com sal.

O uso do cloro nas piscinas , embora efetivo para o controle de agentes infecciosos, acaba levando a alguns efeitos colaterais indesejáveis. Especialmente se os banhos de piscina forem frequentes, pode provocar problemas dermatológicos como ressecamento de pele, unhas e cabelos e, em alguns casos, pode ocasionar alergias e dermatites. São comuns também os sintomas de vermelhidão ocular, às vezes com ardência, especialmente se a concentração de cloro estiver mais elevada. E para quem tem problemas respiratórios maiores, o cloro, pode trazer sinais de irritação de vias aéreas superiores, aumentando desconfortos ou perpetuando processos alérgicos. 

No Kurotel, optou-se por utilizar apenas sal – um tipo especial para este fim – no tratamento da água das piscinas. O sal, por sua vez, além de ser uma maneira eficaz no combate a possíveis microorganismos indesejáveis da água, não traz prejuízos dermatológicos nem para as vias aéreas. O risco de processos alérgicos reduz bastante quando a forma de tratar a água da piscina é a salinização.

Microbioma Intestinal e Emagrecimento

Podemos chamar de microbioma o conjunto de micro-organismos vivos (bactérias, fungos e protozoários) e dos seus genes, que podem interagir com o nosso próprio genoma (DNA). O microbioma mais estudado até o momento é o do intestino.

Diversos estudos em humanos e em animais, mostram que a microbiota intestinal é um fator determinante para o sobrepeso e para a obesidade, pois tem um papel importante na regulação das funções metabólicas, e sabe-se que a composição da microbiota do intestino é influenciada pela alimentação.

Uma alimentação baseada em carboidratos refinados, doces, gorduras saturadas e gorduras trans, altera a microbiota bacteriana, sendo que, esta passa a ser composta principalmente por bactérias gram negativas. Os estudos mostram que a obesidade, e os seus distúrbios metabólicos associados, podem sofrer alterações específicas na composição e função do microbioma do intestino humano, gerando modificações no balanço energético, prejudicando a utilização de energia a partir da alimentação e influenciando os genes que regulam o armazenamento de energia.

A composição do microbioma intestinal é muito variável, e pode ser modulado por vários componentes nutricionais. Por isso, ter uma alimentação saudável é fundamental, pois com a alimentação podemos modificar a microbiota do intestino, facilitando a perda de peso ou impedindo a obesidade.

05 estratégias para controlar as emoções e reduzir peso

As emoções são combustíveis para a vida, quanto maior a habilidade para viver as emoções, maior a capacidade emocional. As emoções se tornam problemas, quando são sintomas; para ser sintoma tem que ter: intensidade, frequência e duração. Uma tarde triste faz parte da vida, duas semanas triste persistentemente pode ser um sintoma depressivo.

O problema é que muitas vezes, as pessoas bebem, fumam ou comem as emoções; muitas dificuldades relacionadas ao peso, tem a ver com comer as emoções. Se afaste da comida quando perceber estar sentindo uma emoção mais intensa, respire, tome água, equilibre seu organismo, caminhe, converse com alguém, tente entender o que está sentindo, para que dessa forma você não coma a emoção, e possa elaborar de maneira saudável, sem trazer prejuízo para si.

Toda vez que for pensar em comer algo; se questione: a quanto tempo fez a última refeição: se fizer menos de três horas da última refeição, se afaste da comida, perguntando para si: fome de que você tem?

Algumas alternativas para estas situações:

Quando sentir ansiedade: relaxar (massagem, banhos de banheira de hidromassagem, yôga, meditação, contemplar a natureza);
Quando sentir tristeza: conversar, pintar, escrever;
Ao sentir raiva: caminhar, correr, escrever, rasgar e colocar fora;
Ao sentir sede: beba água;

Lembre-se: pense, reflita e busque dar a resposta adequada ao que o corpo está pedindo.

Michael Zanchet – Psicólogo do Kurotel. (CRP 07/13384)

Fitoterápicos termogênicos: saiba o que são e seus benefícios

Os fitoterápicos – produtos e fármacos obtidos das plantas para fins terapêuticos, tem o seu efeito termogênico mediante a ingestão de extrato seco, e não através da ingestão alimentar. Isto se deve pela alta concentração dos compostos bioativos, de acordo com os estudos científicos. Confira abaixo alguns exemplos e seus benefícios:

Canela: Fontes dos compostos antioxidantes cianamato e ácido cainâmico, que possuem efeitos anti-inflamatório, hipoglicemiante, hipotensor, anticancerígeno e termogênico. Estudos realizados em humanos tem demonstrado que a canela pode melhorar a sensibilidade à insulina e o perfil glicêmico, além de contribuir no aumento da termogênese.

Gengibre: Os gingeróis são os principais componentes antioxidantes do gengibre, que estimula o metabolismo a queimar mais calorias e ajuda a reduzir a produção de substâncias inflamatórias que quando em excesso dificultam a quebra das células de gordura. Em alguns ensaios clínicos realizados com humanos tem mostrado efeitos na melhora a resistência à insulina no tecido adiposo, que leva a melhora da glicemia de jejum e hemoglobina glicada em pacientes diabéticos. Outros estudos, tem observado a ação do gingerol na inibição intestinal da absorção de gordura, aumento da termogênese e controle do apetite.

Pimenta vermelha: Fonte do composto antioxidante capsaicina, possui propriedades antiobesidade, antidiabética, anti-inflamatória e indutora da termogênese. O seu efeito termogênico se deve pela estimulação da liberação das catecolaminas norepinefrina e e pinefrina da medula adrenal, com ativação do sistema adrenérgico e de receptores capazes de aumentar o gasto energético e diminuir a gordura corporal.

Pimenta preta: Fonte do composto bioativo piperina, possui função digestiva, termogênica e aumenta a absorção gastrointestinal de outros nutrientes e antioxidantes, como é o caso da cúrcuma.

Chá verde (Camellia sinensis): Os compostos fenólicos do chá verde, especialmente as catequinas, associada a cafeína, também presente na camellia sinensis, estimulam o metabolismo dos lipídios, através da lipólise (quebra das células de gordura), que aumenta a ativação de enzimas envolvidas no processo de geração de energia e diminuição da deposição de gordura no músculo e no fígado.

Citrus aurantium (laranja amarga): Fonte de flavonoides, sendo o principal o p-sinefrina, que está associado no aumento da termogênese pela ligação a receptores adrenérgicos (como a adrenalina e noradrenalina), resultando em um aumento da lipólise e da oxidação de gorduras.

Ilex paraguariensis (erva mate): Possui alto teor de polifénois, como os flavonoides, cafeína, teobromina e saponinas triterpênicas, que são responsáveis pelos efeitos termogênicos, antiobesidade e melhora na resistência à insulina. Os estudos demonstraram que a ingestão da erva mate antes do exercício físico pode aumentar a oxidação de gordura durante exercícios leve e moderado.

Michelle Mileto Troitinho – Nutricionista do Kurotel.

Nutrição e Genética: a ciência dentro da nutrição

Estudos recentes demonstram que nem todas as pessoas respondem da mesma maneira ao mesmo hábito alimentar. A nutrigenética, a ciência dentro da nutrição, que estuda a interação dos hábitos alimentares com perfil genético de cada indivíduo, observa que alguns polimorfismos genéticos (modificações nas sequências de base do DNA) poderiam predizer a resposta individual à dieta, e também influenciariam algumas características como o perfil lipídico, redução de peso, diabetes mellitus tipo 2, danos de DNA e câncer. Estas doenças são de origem multifatoriais, ou seja, estão relacionadas tanto a fatores ambientais quanto genéticos.

Por exemplo, vários genes de suscetibilidade estão envolvidos na regulação do metabolismo lipídico e na sensibilidade à insulina, como os genes SREBP´s, PPAR´s, IFABP, e as apolipoproteínas B e E. Os estudos evidenciam que polimorfismos nestes genes, refletem em respostas diferentes em pessoas com o consumo da mesma quantidade de gordura e açúcar na alimentação, podendo aumentar o risco de desenvolvimento de diabetes e doenças cardiovasculares.

O conhecimento genético busca identificar uma grande variedade de genes, cuja a expressão pode ser modificada por componentes alimentares (nutrientes e compostos antioxidantes) a fim de serem incorporados em estratégias nutricionais personalizadas, visando melhorar a qualidade de vida, otimizando a saúde e prevenindo doenças.

Michelle Mileto Troitinho – Nutricionista do Kurotel.

Sucos funcionais para reduzir peso

Confira os benefícios dos sucos funcionais e três receitas exclusivas Kurotel

Os alimentos termogênicos presentes nos sucos funcionais e no suchá, como a pimenta preta, gengibre, a canela e o chá verde, aumentam a temperatura corporal com isso o nosso organismo utiliza com mais facilidade a gordura corporal armazenada para “queima calórica”, promovendo o emagrecimento, e a redução da circunferência abdominal. Além disso, os sucos funcionais têm propriedades anti-inflamatórias que ajudam no combate da celulite e no envelhecimento precoce das células.

Confira abaixo, três receitas de sucos funcionais, que além de saudáveis e saborosas, são muito práticas:

  1. Melancia, Hibisco e Canela

Ingredientes:
2 xícaras de chá de melancia picadas sem sementes
1 xícara de chá de chá de hibisco gelado
Suco de ½ limão
½ colher de café de canela em pó

Modo de Preparo:
Bater todos os ingredientes no liquidificador.
Rendimento: 4 porções

2.Maçã, Morango e Pimenta preta

Ingredientes:
1 maçã pequena com casca e sem sementes
4 morangos médios
½ colher de café de pimenta preta moída (ou pimenta do reino)
200ml de água de coco

Modo de Preparo:
Bater todos os ingredientes no liquidificador.

Rendimento: 4 porções

Suchá de Abacaxi, Chá Verde e Gengibre

Ingredientes:
150ml de chá verde (infusão) gelado
5 folhas de hortelã
2 fatias médias de abacaxi (100g)
1 colher de chá de raiz de gengibre ralada

Modo de Preparo:
Bater todos os ingredientes no liquidificador.

Rendimento: 4 porções

Michelle Mileto Troitinho – Nutricionista do Kurotel.

Genética para o esporte: descubra o exercício ideal para você

Atualmente, a genética está sendo cada vez mais importante no processo de melhora da qualidade de vida do ser humano. No âmbito do treinamento físico não é diferente: a genética pode mostrar qual tipo de exercício físico é mais compatível com perfil genético do indivíduo.

No Kurotel, o cliente tem a possibilidade de realizar o Fit Sport, teste genético não invasivo que analisa o DNA para descobrir, antes de tudo, qual exercício mais indicado para cada indivíduo.

A genética pode ser uma grande aliada para descobrir o exercício físico ideal

Com a análise genética para o esporte é possível:

– Analisar a predisposição para o tipo de esforço: descobrir se a estrutura muscular é orientada a uma força explosiva ou de resistência;

– Verificar a capacidade antioxidante: capacidade de normalizar o estresse oxidativo;

– Análise da lipólise: capacidade do indivíduo de eliminar gordura, sugerindo também estratégias alimentares para otimizar o processo de emagrecimento;

– Resposta inflamatória: descobrir o período correto de recuperação entre os treinos.

Através deste exame, é possível ter uma grande assertividade na prescrição do exercício, obter melhores resultados, melhorar o desempenho, motivar mais a pessoa para que consiga atingir mais rapidamente seus objetivos, e acima de tudo, motivá-lo a dar continuidade no seu treinamento.

Com a análise do perfil genético o educador físico consegue prescrever com muito mais certeza o exercício indicado para cada indivíduo, conseguindo assim, aperfeiçoar o resultado do treinamento.

Rafael Fabres de Carvalho – Educador Físico do Kurotel