Emagrecimento preventivo para o inverno

Equipe médica interdisciplinar do Kurotel traz insights sobre o tema e como fugir a gatilhos que podem propiciar o ganho de peso na estação

Historicamente, por razões comportamentais – e não fisiológicas – as pessoas costumam aumentar mais de peso no período do inverno do que no verão. As baixas temperaturas típicas do período são convidativas para se comer alimentos mais calóricos e não tão saudáveis. Com roupas maiores e mais grossas, existem menor exposição corporal e estética. E se colocar dificuldades para se sair de casa para praticar exercícios, o metabolismo acaba ficando mais lento e levando, então, ao aumento de peso. 

A boa notícia é que é possível prevenir o impacto na balança com o emagrecimento preventivo. Em outras palavras, isso quer dizer que, sabendo que o período é propício para o aumento de peso, há estratégias para lidar com as armadilhas da estação e não ser alvo dela.

Confira, abaixo, o ponto de vista de algumas áreas médicas oferecidas pelo Kurotel – Centro Contemporâneo de Saúde e Bem-Estar sobre como lidar com os gatilhos que podem ser prejudiciais.

Novo in put mental: É possível emagrecer no inverno, sim!

Segundo o psicólogo dr. Michael Zanchet, por mais que as questões climáticas influenciem hábitos e humor, o melhor caminho é o equilíbrio. “É claro que no inverno as melhores opções são alimentos mais quentes e, no verão, uma dieta mais leve, pois assim se evita o efeito sanfona e, essa alternância de comportamento é saudável. Buscar manter o ritmo de exercícios físicos também é fundamental mesmo que em dias frios. Para isso, basta optar por locais fechados, com vestimenta adequada, pois o corpo necessita ser cuidado tanto no inverno quanto no verão, com o conceito de saúde integrada”, explica.

E salve a ativação da gordura marrom!

Nem toda gordura é ruim. De acordo com a médica clínica geral e ortomolecular Bárbara Ignez Schiavenin, os seres humanos têm uma gordura, diferente da tradicional chamada branca que conserva energia, que queima calorias para gerar calor. Ela está presente desde o nascimento, porém, com o passar dos anos, ela diminui bastante por não ser mais tão necessária. “Diversos estudos estão relacionando a obesidade com a desativação dessa gordura e o futuro será tratamentos e comportamentos ativadores dela”, afirma a médica. Um desses comportamentos é a exposição ao frio. “As tendências apontam que permanecer em uma sala com temperatura de 17ºC a 19ºC, com roupas leves, por pelo menos 2 horas, provoca o recrutamento e a proliferação dessa gordura. Consequentemente, a diminuição de gordura corporal. O resultado se intensifica após período de 6 semanas”, destaca.

Água gelada e quente

A hidroterapia ao ar livre também pode trazer bons resultados nessa época do ano. “Na piscina, a troca de calor é mais rápida, pois a condutividade térmica da água é 25 vezes maior do que a do ar. Nesse processo, o corpo sempre perde calor, já que a temperatura da água para a prática de exercícios nunca deve ficar mais alta do que a dele. Essa perda é causada tanto pelo processo de condução (movimento de energia térmica de algo mais quente para algo mais frio), quanto pela convecção (perda de calor causada pelo movimento da água contra o corpo, mesmo se a água e o corpo estiverem na mesma temperatura)”, detalha o fisioterapeuta Roberto Matheus Durli. Assim, quando se entra na piscina, é absolutamente normal e previsto sentir um pouco de frio. “Porém, como não se fica parado na água, e, sim, em movimento, naturalmente e em poucos minutos é produzido calor suficiente para se manter aquecido durante o período de aula”, afirma.

Ar livre para impulsionar metabolismo

Atividades ao ar livre são grandes impulsionadoras do metabolismo e favorecem o emagrecimento. É o que diz o educador físico Luciano Sanseverino. “Treinar na rua durante o inverno aumenta o gasto energético e o metabolismo vai consumir mais calorias para manter a temperatura corporal estável”, comenta. Trata-se de um processo fisiológico chamado de termorregulação, em que o corpo utiliza energia para se manter aquecido, que pode chegar até 30% a mais. O frio também melhora a performance física, aumentando a tolerância a exercícios de alta intensidade. “Isso ocorre porque o corpo não sofre superaquecimento, facilitando a troca de calor com o meio externo, com isso melhorando o rendimento e potencializando o processo de emagrecimento”, conclui.

Publicado por

kurotelb

Fundado em 1982 por Luís Carlos Silveira, e sua esposa, Neusa Silveira, o Kurotel - Centro Médico de Longevidade e Spa, está localizado em meio às belezas da Serra gaúcha, na cidade de Gramado. É reconhecido por promover e estimular as pessoas a se comprometerem com um estilo de vida mais saudável, motivando escolhas positivas. Valorizando a vida nos sentidos quantitativo (longevidade) e qualitativo (vitalidade e bem-estar).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *