Terapia Craniosacral

A terapia Craniosacral é um método, sutil e profundo, que auxilia a capacidade natural de auto cura do nosso corpo.

A base da terapia craniossacral é o acompanhamento da movimentação suave dos ossos que formam esse sistema, sendo eles o crânio, a coluna vertebral e o sacro. No centro desse sistema, encontramos o líquor, o qual é produzido e absorvido de 6 a 12 vezes por minuto e esse mecanismo gera um movimento fisiológico, o qual chamamos de ritmo craniossacral.

Os tecidos do nosso corpo se contraem em resposta a um trauma físico ou a um estresse emocional. O nosso corpo tem capacidade de reverter esse quadro. Entretanto, quando o trauma é severo ou é acompanhado por fortes emoções, esses tecidos permanecem contraídos. A manutenção dessa contração excessiva favorece a restrição do ritmo craniossacral.

O terapeuta craniossacral, através de um toque extremamente sutil, percebe a movimentação fisiológica do ritmo craniossacral e também percebe os locais onde existem restrições. Nos locais onde existem essas restrições, o terapeuta faz movimentos específicos visando a normalidade do ritmo e a autocura.

É como se o nosso corpo fosse um rio, e alguém atirasse uma pedra muito pesada no centro desse rio. Essa pedra vai formar ondas as quais serão sentidas na beira do rio. Só não será sentida, se tiver algo que bloqueie esse trajeto, como um banco de areia. Cabe ao profissional retirar esse banco e deixar que o rio flua naturalmente.

Sendo assim, a  terapia craniossacral é muito indicada para casos de autismo, tonturas, zumbidos, enxaquecas, fibromialgia, problemas de coluna, alterações na ATM,  desequilíbrios psico-emocionais como  o estresse, depressão, cansaço crônico, ansiedade, insônia.

Jaqueline de Souza Correa – Fisioterapeuta do Kurotel

Publicado por

kurotelb

Fundado em 1982 por Luís Carlos Silveira, e sua esposa, Neusa Silveira, o Kurotel - Centro Médico de Longevidade e Spa, está localizado em meio às belezas da Serra gaúcha, na cidade de Gramado. É reconhecido por promover e estimular as pessoas a se comprometerem com um estilo de vida mais saudável, motivando escolhas positivas. Valorizando a vida nos sentidos quantitativo (longevidade) e qualitativo (vitalidade e bem-estar).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *