A verdadeira Medicina Integrativa

A medicina integrativa surgiu nos Estados Unidos, em centros Universitários e Hospitais, principalmente em Arizona, Harvard, Mayo e Cleveland Clinic. A proposta é um resgate da medicina tradicional e humanizada, contrapondo o modelo tecnológico e frio da medicina com excesso de tecnologia, segmentada e com “pouco toque”, “pouco ouvir” e pouca autonomia do paciente. No Brasil, nosso principal expoente é o Dr. Paulo de Tarso Lima, do Hospital Albert Einstein em São Paulo.

Os preceitos dessa prática são: o paciente é ativo em seu processo de cura e recuperação; o médico vê o paciente com um todo, de forma ampla e integral, compreendendo aspectos como mente, corpo e estilo de vida. No tratamento integrativo o foco sobre a doença é retirado, sendo médico e pacientes parceiros no tratamento e no processo de cura.

Ajustes na dieta e nos hábitos alimentares, suplementação nutricional (quando necessária), prática regular de exercícios físicos, redução e combate ao estresse e terapias focadas em corpo e mente são os pilares que sustentam as mudanças em benefício da saúde.

É importante salientar que a medicina integrativa não é uma área “alternativa”, mas sim COMPLEMENTAR. Essa não deixa de lado todas as possibilidades de recursos tecnológicos e exames, procedimentos, cirurgias etc. No entanto usa todo esse aparato aliado a posturas psicoprofiláticas, mudança do perfil do cliente para otimizar seu autocuidado, qualidade de vida e saúde. Todo o contexto de vida deve ser avaliado: circunstâncias e peculiaridades profissionais, estressores familiares e conjugais podem ser abordados e correlacionados ao processo de enfermidade x cura.

Como exemplo podemos citar terapias auxiliares como acupuntura, musicoterapia, Yoga, meditação, massagens, banhos terapêuticos (método Kneipp) e fitoterapia. Todo esse contexto de terapias complementares, aliado à medicina “convencional” e todo arsenal científico pode ajudar o paciente a recuperar-se melhor, seja pós cirurgia, quimioterapia e até de infecções comuns durante o curso de um antibiótico. Na visão integrativa, tão importante quanto o efeito direto do antibiótico sobre a bactéria, é o bem-estar e boa imunidade, contexto físico e nutricional para que o corpo reaja ao processo patológico.

A medicina científica, baseada em evidências e investigativa é sempre base das boas práticas clínicas do profissional médico que exerce medicina integrativa com responsabilidade. No entanto, de forma complementar, ouvir, propor terapias de maneira horizontal e respeitar a individualidade do ser humano diante de uma mesa de consultório são fatores tão importantes quanto os aspectos tecnológicos.

O KUROTEL em Gramado há 35 anos usa os preceitos da medicina integrativa para promover cura, recuperação física e psíquica, qualidade de vida e bem-estar de seus clientes. O trabalho realizado é multi, trans e interdisciplinar. O cliente, visto como um todo, recebe todo esse suporte das diversas áreas supramencionadas em seu benefício.

23 de janeiro – Dia Internacional da Medicina Integrativa

Dr. Pedro Paulo Prudente CRM-RS 40.921 RQE 28340 | Dr. Renato Kalil F. Uehbe CRM-RS 42.214  RQE 47008 :: Médicos do Exercício e Esporte do KUROTEL  

 

 

 

Publicado por

kurotelb

Fundado em 1982 por Luís Carlos Silveira, e sua esposa, Neusa Silveira, o Kurotel - Centro Médico de Longevidade e Spa, está localizado em meio às belezas da Serra gaúcha, na cidade de Gramado. É reconhecido por promover e estimular as pessoas a se comprometerem com um estilo de vida mais saudável, motivando escolhas positivas. Valorizando a vida nos sentidos quantitativo (longevidade) e qualitativo (vitalidade e bem-estar).

23 comentários em “A verdadeira Medicina Integrativa”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *