As emoções são combustíveis para a vida, quanto maior a habilidade para viver as emoções, maior a capacidade emocional. As emoções se tornam problemas, quando são sintomas; para ser sintoma tem que ter: intensidade, frequência e duração. Uma tarde triste faz parte da vida, duas semanas triste persistentemente pode ser um sintoma depressivo.

O problema é que muitas vezes, as pessoas bebem, fumam ou comem as emoções; muitas dificuldades relacionadas ao peso, tem a ver com comer as emoções. Se afaste da comida quando perceber estar sentindo uma emoção mais intensa, respire, tome água, equilibre seu organismo, caminhe, converse com alguém, tente entender o que está sentindo, para que dessa forma você não coma a emoção, e possa elaborar de maneira saudável, sem trazer prejuízo para si.

Toda vez que for pensar em comer algo; se questione: a quanto tempo fez a última refeição: se fizer menos de três horas da última refeição, se afaste da comida, perguntando para si: fome de que você tem?

Algumas alternativas para estas situações:

Quando sentir ansiedade: relaxar (massagem, banhos de banheira de hidromassagem, yôga, meditação, contemplar a natureza);
Quando sentir tristeza: conversar, pintar, escrever;
Ao sentir raiva: caminhar, correr, escrever, rasgar e colocar fora;
Ao sentir sede: beba água;

Lembre-se: pense, reflita e busque dar a resposta adequada ao que o corpo está pedindo.

Michael Zanchet – Psicólogo do Kurotel. (CRP 07/13384)